Bem Quotes

Authors: A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
Categories: A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
um-beijo-bem-gostoso-eu-vou-te-dar
se-vive-bem-e-tem-amor-pra-que-vai-se-preocupar
lixa-sempre-as-expectativas-das-pessoas-companheiro-faz-bem-e-circulaeeo-peg-333-tana-french
hoje-sei-muito-bem-que-nada-na-vida-repugna-tanto-ao-homem-do-que-seguir-pelo-caminho-que-o-conduz-si-mesmo-hermann-hesse
a-finalidade-ds-humanos-neo-consiste-e-cumprir-o-que-eles-consideram-bem-mas-em-chamar-meu-ao-maior-nemero-possevel-de-objectos-leo-tolstoy
ser-feliz-e-ter-consciencia-do-efemero-e-saberse-capaz-de-agarrar-o-instante-e-lidar-bem-com-o-que-neo-e-definitivo-ou-seja-tudo-martha-medeiros
vivi-muito-tempo-no-mundo-das-pessoas-grandes-vias-de-bem-pertoneo-fiquei-com-muito-melhor-opinieo-delas-antoine-de-saintexupery
os-maus-respondeu-jesrad-um-anjo-seo-sempre-infelizes-servem-para-per-e-prova-um-reduzido-nemero-de-justos-espalhados-sobre-terra-e-neo-he-mal-do-qual-neo-resulte-um-bem-voltaire
sou-dessa-gente-meticulosa-nos-dedos-cheia-de-zelos-nos-moldes-da-argamassa-bem-mais-translecida-vidrae-mercia-abath
aprendi-que-viajar-ainda-e-melhor-forma-de-alterar-vida-mudar-as-ideias-e-abraear-inspiraeeo-mas-devemos-estar-de-olhos-bem-abertos-e-ansiosos-por-agarrela-ou-e-um-desperdecio-ad
a-oportunidade-de-fazer-o-mal-aparece-cem-vezes-por-dia-e-de-fazer-bem-uma-vez-por-ano-diz-zoroastro-voltaire
isso-e-bem-outra-coisa-replicou-alberto-porque-um-homem-que-se-deixa-arrastar-por-uma-paixeo-violenta-perde-faculdade-de-refletir-e-deve-ser-considerado-como-um-ebrio-como-um-dem
a-gente-quer-passar-um-rio-nado-e-passa-mas-vai-dar-na-outra-banda-e-num-ponto-muito-mais-embaixo-bem-diverso-do-em-que-primeiro-se-pensou-viver-nem-neo-e-muito-perigoso-joeo-gui
assim-quantas-vezes-desperto-e-abandonado-neo-entrei-pela-noite-dentro-aguardando-neo-bem-madrugada-nem-o-meu-sono-final-mas-o-vazio-absoluto-de-um-nunca-mais-para-o-passado-e-pa
seja-bemvindo-esta-leitura-partilhe-das-suas-emoeees-viva-as-suas-palavras-mas-sobretudo-seja-feliz-onde-estiver-pois-ele-estare-no-seu-coraeeo-pedro-miguel-cruz
Estou decidida a adorar-te durante toda a vida e a ne£o ter olhos para mais ninguem. E asseguro-te que tambem tu fare¡s bem em ne£o amar mais ninguem. Poderias, acaso, contentar-te com uma paixe£o menos ardente do que a minha? Encontrare¡s, talvez, maior beleza (e, no entanto, disseste-e outrora que ne£o me faltava beleza), mas ne£o encontrare¡s jamais amor tamanho - e o resto ne£o conta. [... ] Conjuro-te a que me digas por que e que te empenhaste em me encantar como fizeste, se je¡ sabias que me havias de abandonar? Por que e que puseste tanto empenho em me tornar infeliz? Por que ne£o me deixaste em paz no meu convento? Tinha-te feito algum mal? [... ] Atribuo toda esta desgrae§a e  cegueira com que me abandonei a dedicar-me a ti. Pois ne£o devia eu prever que os meus prazeres acabariam antes que acabasse o meu amor? Podia eu esperar que ficasses para sempre em Portugal e que renunciasses e  tua fortuna e e  tua pe¡tria para so pensares em mim? [... ] Bem claramente vejo qual seria o remedio para todos os meus males e em breve me libertaria deles se deixasse de te amar. Mas ai de mim!, que terre­vel remedio! Ne£o! Antes quero sofrer ainda mais do que esquecer-te... Infeliz que sou! Dependere¡ isso de mim? Ne£o posso acusar-me de ter desejado, nem que fosse so por um momento, deixar de te amar! [... ] Ne£o e para te obrigar a escreveres-me que digo todas estas coisas. Oh!, ne£o te violentes! De ti ne£o quero nada sene£o o que espontaneamente vier e recuso todos os testemunhos de amor que constrangido me desses. Comprazer-me-ia em desculpar-te, so porque talvez tu te sintas bem em ne£o ter o ince´modo de me escrever, e sinto uma profunda disposie§e£o para te perdoar todas as faltas que cometeres.

Mariana Alcoforado
estou-decidida-adorarte-durante-toda-vida-e-neo-ter-olhos-para-mais-ninguem-e-assegurote-que-tambem-tu-fares-bem-em-neo-amar-mais-ninguem-poderias-acaso-contentarte-com-uma-paixe
uma-pessoa-envelhece-lentamente-primeiro-envelhece-o-seu-gosto-pela-vida-e-pelas-pessoas-sabes-pouco-pouco-tornase-tudo-teo-real-conhece-o-significado-das-coisas-tudo-se-repete-t
entre-as-recordaeees-de-cada-pessoa-he-coisas-que-ela-neo-conta-para-qualquer-um-somente-para-os-amigos-he-tambem-aquelas-que-ela-neo-conta-nem-para-os-amigos-somente-para-sim-me
Seja como for, as pessoas dedicadas e religie£o ne£o querem reconhecer a realidade que contradiz o seu conto de fadas. Se realmente vivermos num universo sem Deus, elas perdem o emprego. O fluxo de dinheiro estagna. Por outro lado, he¡ pessoas que escolhem viver a sua vida de uma forma completamente egoceªntrica e homicida. Essas sentem que, se nada importa e elas podem fazer o que querem sem sofrer consequeeªncias, ve£o fazeª-lo. Mas tambem podemos ver as coisas de outra maneira: estamos nos e os outros todos, vivos e num barco salva-vidas, e temos de fazer as coisas da maneira mais decente posse­vel para nos e para eles. A mim parece-me que esta seria uma forma de viver muito mais morale "criste£": reconhecermos a terre­vel verdade da existeªncia humana e, perante isso, ainda escolhermos ser humanos decentes em vez de nos iludirmos sobre a existeªncia de uma qualquer recompensa paradise­aca ou um qualquer castigo infernal. Parecia-me uma atitude muito mais nobre. Se he¡ recompensa, castigo ou qualquer tipo de pagamento e agimos bem, ente£o ne£o estamos a fazer por razeµes muito nobres - os chamados prince­pios criste£os. e‰ como os bombistas suicidas que agem alegadamente de acordo com prince­pios religiosos ou nacionais bastante nobres quando, na verdade, as suas fame­lias recebem uma recompensa em dinheiro e congratulam-se com um legado heroico - je¡ para ne£o falar da promessa de virgens para os perpetradores, embora me passe completamente ao lado como e que alguem prefere um grupo de virgens a uma mulher altamente experiente.

Woody Allen
seja-como-for-as-pessoas-dedicadas-e-religieo-neo-querem-reconhecer-realidade-que-contradiz-o-seu-conto-de-fadas-se-realmente-vivermos-num-universo-sem-deus-elas-perdem-o-emprego
Raciocinai assim com a vida: Se te perco, perco uma coisa que somente os loucos querem conservar. Ne£o passas de um sopro, exposto a todas as influeªncias do ar e que, hora apos hora, deterioram esta habitae§e£o em que moras. e‰s meramente o joquete da morte, pois procuras sempre evite¡-la pela fuga e, apesar disto, corres sempre em diree§e£o a ela. Ne£o es nobre, porque todas as voluptuosidades, que se£o teu patrime´nio, se£o acalentadas pelas baixezas. Este¡s longe de ser valente, pois temes o aguilhe£o terno e brando de um verme. O que tens de melhor em ti e o sono e que tantas vezes provocas; entretanto, temes grosseiramente a morte que ne£o passa de um sono. Tu ne£o es tu mesmo, pois tua existeªncia e o resultado de milhares de gre£os que saem do po. Ne£o es feliz, porque o que tu ne£o tens, tu te esfore§as para adquirir e o que possuis, tu esqueces. Ne£o es constante, pois tua natureza, segundo as fases da Lua, sofre estranhas alterae§eµes. Se es rico, es pobre; pois, semelhante a um asno cujo lombo este¡ vergado ao peso de lingotes, so carregas as tuas riquezas um eºnico dia e a morte te livra delas. Ne£o tens amigos, pois o fruto de tuas proprias entranhas que te chama de ''pai'', o mais puro de teu sangue sae­do de teus proprios rins, maldiz a gota, a lepra e o catarro, que ne£o te acabam bem depressa. Ne£o tens juventude nem velhice, e, por assim dizer, ne£o passas de um sesta depois do jantar que sonha um pouco com as duas idades; pois toda tua feliz juventude e passada fazendo-se velha e solicitando esmolas da parale­tica velhice. Quando, no fim, fores velho e rico, je¡ ne£o tere¡s calor, sentimento, fore§a, nem beleza, para tornares agrade¡veis tuas riquezas.Que te sobra ainda nisto que traz o nome de Vida? O outras mil formas de morte ainda este£o ocultas nesta vida e, contudo tememos a morte que nivela todas estas miserias.

William Shakespeare
raciocinai-assim-com-vida-se-te-perco-perco-uma-coisa-que-somente-os-loucos-querem-conservar-neo-passas-de-um-sopro-exposto-todas-as-influencias-do-ar-e-que-hora-apos-hora-deteri
Pingala pode ser definida como a energia dine¢mica, ativa, masculina, positiva, yang, dentro de nossa personalidade. Ela tem um lado fe­sico e mental. Suas qualidades materiais se£o luz, calor, solar, energia acumulando, criatividade, organizae§e£o, focalizada (centre­peta) e contrativa. O lado mental positivo, dine¢mico, dentro do sistema de Freud e o Eros, o prince­pio do prazer, e no sistema de Jung e a personalidade consciente, o lado racional e discriminativo. Podemos dizer que pingala e a energia psicossome¡tica, aparentemente dirigida, a mente agindo sobre o corpo para motivar os orge£os da ae§e£o, os karmendriyas. Ela e a energia be¡sica da vida. Ida e a energia dentro da personalidade, o qual e passiva, receptiva, feminina, negativa, yin. A um ne­vel fe­sico, ela e escura, fria, lunar, energia de dissipae§e£o, desorganizae§e£o, entropica, expansiva (centre­fuga) e relaxante. No plano mental que Freud chamou Tanatos, o instinto da morte, e Jung chamou de anima, o inconsciente, e­ntimo feminina, emocional, sentimento intuitivo e ne£o discriminatorio, o fundo sobre o qual as diferene§as podem ser vistas e que podem ser unificadas. Este e o aspecto soma fe­sico do homem, onde a energia e dirigida para dentro, e o corpo age sobre a mente. Ida controla os orge£os dos sentidos, ou gyanendriyas, e, portanto, nos de¡ conhecimento e conscieªncia do mundo em que vivemos... Carl Jung expressou as viseµes te¢ntricas quando descreveu a fore§a motriz da auto-realizae§e£o, a qual chamou de 'individuae§e£o', como uma interae§e£o dialetica entre os opostos, iniciando com o conflito e culminando em se­ntese e integrae§e£o. Quando o equile­brio perfeito e alcane§ado, estabilizado e aperfeie§oado, um estado de paz dine¢mico e alcane§ado, que e um paradoxo, uma unie£o de opostos, a se­ntese de fazer e ne£o fazer, uma maneira totalmente nova de perceber e experenciar a vida. Poucos de nos realizam este terceiro estado espiritualizado, e muitos de nos oscilam de um estado a outro. A cada 90 a 180 minutos ida e pingala alternam sua posie§e£o dominante e somente por uns poucos segundos, ou minutos, sushumna entra em existeªncia posse­vel. e‰ a meta de todas as tecnicas de yoga balancear e equilibrar ida e pingala, fore§a da vida e conscieªncia, para que eles se unam em aje±a chakra para criar a luz interna do conhecimento e bem-aventurane§a, e revelar a verdade.

Satyananda Saraswati
pingala-pode-ser-definida-como-energia-dinemica-ativa-masculina-positiva-yang-dentro-de-nossa-personalidade-ela-tem-um-lado-fesico-e-mental-suas-qualidades-materiais-seo-luz-calo
?Earn cash when you save a quote by clicking
EARNED Load...
LEVEL : Load...