Realmente Quotes

Authors: A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
Categories: A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
la-manera-en-la-que-piensas-de-una-persona-no-es-como-ellos-realmente-son-john-green
el-amor-es-lo-enico-que-puede-hacer-que-la-vida-sea-realmente-hermosa-el-resto-es-superficial-joel-dicker
cuando-realmente-deseas-una-cosa-todo-el-universo-conspira-para-ayudarte-conseguirla-paulo-coelho
muestrame-una-persona-que-realmente-sabe-lo-que-es-bueno-y-te-mostrare-que-casi-nunca-usa-la-palabra-idries-shah
yo-anhelaba-enseear-pero-tuve-que-esperar-que-el-deseo-se-desvaneciera-antes-de-que-pudiese-hacerlo-realmente-idries-shah
sei-disso-he-algum-tempo-mas-voce-pode-saber-de-algo-durante-anos-sem-que-isso-realmente-o-atinja-david-levithan
lo-malo-de-la-vida-es-que-no-sabes-realmente-si-es-un-proceso-descendente-no-sabes-en-absoluto-de-que-se-trata-philip-roth
me-pregunto-como-sere-el-mundo-si-todos-vivieramos-realmente-como-si-no-hubiera-maeana-judith-krantz
sente-como-mi-alma-y-mi-corazon-realmente-lo-necesitaba-quere-ese-vengativo-y-odioso-hombre-mes-que-nada-aquel-chico-que-no-me-habe-dejado-sola-lolo-mayaya
el-proceso-de-aprender-es-el-proceso-de-descubrir-lo-que-realmente-existe-idries-shah
bailares-conmigo-y-dires-lo-que-realmente-sientes-por-me-pasaremos-una-noche-megica-y-me-podres-odiar-por-la-maeana-lolo-mayaya
el-mundo-no-se-divide-en-gente-buena-y-mala-todos-tenemos-luz-y-oscuridad-dentro-de-nosotros-lo-que-importa-es-la-parte-la-que-obedecemos-eso-es-lo-que-realmente-somos-sirius-bla
la-verdad-no-es-realmente-mes-extrae-que-la-ficcion-digan-lo-que-digan-la-mayoria-de-la-veces-uno-sabe-exactamente-como-van-salir-las-cosas-paul-stephen-king
no-se-puede-ser-libre-si-se-dedica-uno-esperar-que-el-universo-se-pronuncie-si-estes-merced-del-universo-no-eres-realmente-libre-wendy-wunder
cuando-una-creencia-se-transforma-en-algo-mes-que-un-instrumento-estes-perdido-permaneceres-perdido-hasta-que-aprendas-para-que-es-realmente-la-creencia-idries-shah
ama-ama-tanto-como-puedas-y-ama-sin-esperar-nada-cambio-porque-cuando-esperas-realmente-no-sabes-si-es-amor-lo-que-te-este-guiando-o-la-esperanza-de-obtener-algo-de-vuelta-mr-mar
en-este-mundo-nada-tiene-objeto-ni-final-nada-tiene-principio-ni-fin-por-lo-tanto-puede-decirse-que-ninguna-historia-termina-realmente-salvo-en-los-folletines-pero-eso-no-cuenta-
ruth-que-quere-que-todos-creyeran-lo-que-ella-sabe-que-los-muertos-realmente-nos-hablan-que-en-el-aire-que-rodea-los-vivos-los-esperitus-se-mueven-se-entremezclan-y-reen-con-noso
bueno-muestrame-una-persona-que-cree-que-sabe-lo-que-es-bueno-y-probablemente-sere-capaz-de-mostrarte-una-persona-horrorosa-muestrame-una-persona-que-realmente-sabe-lo-que-es-bue
Seja como for, as pessoas dedicadas e religie£o ne£o querem reconhecer a realidade que contradiz o seu conto de fadas. Se realmente vivermos num universo sem Deus, elas perdem o emprego. O fluxo de dinheiro estagna. Por outro lado, he¡ pessoas que escolhem viver a sua vida de uma forma completamente egoceªntrica e homicida. Essas sentem que, se nada importa e elas podem fazer o que querem sem sofrer consequeeªncias, ve£o fazeª-lo. Mas tambem podemos ver as coisas de outra maneira: estamos nos e os outros todos, vivos e num barco salva-vidas, e temos de fazer as coisas da maneira mais decente posse­vel para nos e para eles. A mim parece-me que esta seria uma forma de viver muito mais morale "criste£": reconhecermos a terre­vel verdade da existeªncia humana e, perante isso, ainda escolhermos ser humanos decentes em vez de nos iludirmos sobre a existeªncia de uma qualquer recompensa paradise­aca ou um qualquer castigo infernal. Parecia-me uma atitude muito mais nobre. Se he¡ recompensa, castigo ou qualquer tipo de pagamento e agimos bem, ente£o ne£o estamos a fazer por razeµes muito nobres - os chamados prince­pios criste£os. e‰ como os bombistas suicidas que agem alegadamente de acordo com prince­pios religiosos ou nacionais bastante nobres quando, na verdade, as suas fame­lias recebem uma recompensa em dinheiro e congratulam-se com um legado heroico - je¡ para ne£o falar da promessa de virgens para os perpetradores, embora me passe completamente ao lado como e que alguem prefere um grupo de virgens a uma mulher altamente experiente.

Woody Allen
seja-como-for-as-pessoas-dedicadas-e-religieo-neo-querem-reconhecer-realidade-que-contradiz-o-seu-conto-de-fadas-se-realmente-vivermos-num-universo-sem-deus-elas-perdem-o-emprego
Segundo os Shastras tradicionais, o Mestre e para o disce­pulo, pai, me£e e eshwara (que significa Senhor, representa o arquetipo e, em certo sentido e a divindade eleita para o culto particular). Numa era de contestae§e£o e irrevereªncia, tal afirmae§e£o ne£o e nada modesta. Hoje este¡ na moda construir frases de efeito ou emitir conceitos que fae§am media com o leitor. Conceitos demagogicos para cativar a opinie£o peºblica. Entretanto, as escrituras hindus ne£o estavam preocupadas com isso e ne£o estavam brincando quando colocaram muito claramente a posie§e£o do Mestre e do disce­pulo. Sendo uma filosofia do Oriente e da antiguidade, o Ye´ga ne£o faz por menos: o disce­pulo deve total respeito, obedieªncia, amor e fe ao seu Mestre. Caso contre¡rio, ne£o tem capacidade de ser disce­pulo nem o direito de chamar a alguem de Mestre, conforme diz a Maitre­ Upanishad: 'Esta cieªncia absolutamente secreta so deve ser ensinada a um filho ou a um disce­pulo totalmente devotado ao seu Mestre'. Para aquele que ne£o souber aprender, ninguem sere¡ um Mestre competente, je¡ que a incompeteªncia ne£o estare¡ no ensinar, mas no aprender. Para aquele que aceita as normas do discipulado, o Mestre escolhido sempre e bom, pois tal disce­pulo este¡ com o siddhi do aprendizado plenamente desenvolvido e aprendere¡ mesmo que nada seja dito, bastando a proximidade fe­sica do Mestre, o qual atua como catalisador. Por isso e importante visitar o Mestre com freqe¼eªncia. Por que a proximidade fe­sica e te£o importante, se o Ye´ga e fundamentalmente subjetivo e domina te£o espetacularmente as dimenseµes paranormais? e‰ porque ocorre um fene´meno denominado nye¡sa, uma especie de osmose, no qual, o disce­pulo que reeºna as qualidades indispense¡veis, assimila parte do conhecimento e o poder do seu Mestre atraves do simples conve­vio. Para ele, o Mestre e um catalisador vivo da fore§a e da sabedoria que je¡ estavam presentes no e­ntimo do proprio disce­pulo. Esse conve­vio e te£o mais importante na medida em que e atraves dele que sere£o realizados o Guru Seªva, o Parampare¡ e o Kripe¡ Guru, treªs das mais sagradas tradie§eµes do Ye´ga no que se refere e s relae§eµes Mestre/disce­pulo. Ao escolher o seu Mestre voceª deve aceite¡-lo, acate¡-lo e reconheceª-lo definitivamente e sem reservas. Ne£o cabe da sua parte nenhuma deºvida ou questionamento. Se voceª ne£o tem essa capacidade, ne£o este¡ a altura de ter um Mestre e vai ficar estagnado sem aprender nada profundo, nada que seja realmente Ye´ga. Ao que, por outro lado, tem essa capacidade no seu mais alto grau, esse consegue aprender, mesmo e  diste¢ncia, pois cada vez que realizar um peºje¡ sincero, entra em sintonia interior e o Mestre fala diretamente ao seu corae§e£o, fora do tempo e do espae§o. Dessa forma, pode compensar parcialmente a falta da te£o importante presene§a fe­sica.

Sergio Santos
segundo-os-shastras-tradicionais-o-mestre-e-para-o-discepulo-pai-mee-e-eshwara-que-significa-senhor-representa-o-arquetipo-e-em-certo-sentido-e-divindade-eleita-para-o-culto-part
?Earn cash when you save a quote by clicking
EARNED Load...
LEVEL : Load...