Tinha Quotes

Authors: A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
Categories: A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z
a-literatura-era-o-melhor-brinquedo-que-se-tinha-inventado-para-gozar-com-as-pessoas-gabriel-garce-merquez
esta-garota-pelo-simples-ato-de-caminhar-e-sorrir-estava-me-foreando-recuperar-um-dom-que-eu-tinha-abandonado-nina-g-jones
e-quando-eu-disse-ela-que-je-os-tinha-lido-ela-me-fez-umas-perguntas-muito-longas-que-na-verdade-eram-apenas-as-ideias-dela-com-um-ponto-de-interrogaeeo-no-final-stephen-chbosky
tinha-perpetua-sensaeeo-enquanto-olhava-os-carros-de-estar-fora-longe-e-sozinha-no-meio-do-mar-sempre-sentira-que-era-muito-muito-perigoso-viver-por-um-dia-que-fosse-virginia-woo
mal-tinha-chegado-ao-paes-e-queria-encontrar-todas-as-portas-abertas-ou-explodilas-dinamite-eu-je-sabia-que-as-portas-estavam-apenas-encostadas-talvez-amanhe-eu-me-visse-eventual
entre-as-recordaeees-de-cada-pessoa-he-coisas-que-ela-neo-conta-para-qualquer-um-somente-para-os-amigos-he-tambem-aquelas-que-ela-neo-conta-nem-para-os-amigos-somente-para-sim-me
Estou decidida a adorar-te durante toda a vida e a ne£o ter olhos para mais ninguem. E asseguro-te que tambem tu fare¡s bem em ne£o amar mais ninguem. Poderias, acaso, contentar-te com uma paixe£o menos ardente do que a minha? Encontrare¡s, talvez, maior beleza (e, no entanto, disseste-e outrora que ne£o me faltava beleza), mas ne£o encontrare¡s jamais amor tamanho - e o resto ne£o conta. [... ] Conjuro-te a que me digas por que e que te empenhaste em me encantar como fizeste, se je¡ sabias que me havias de abandonar? Por que e que puseste tanto empenho em me tornar infeliz? Por que ne£o me deixaste em paz no meu convento? Tinha-te feito algum mal? [... ] Atribuo toda esta desgrae§a e  cegueira com que me abandonei a dedicar-me a ti. Pois ne£o devia eu prever que os meus prazeres acabariam antes que acabasse o meu amor? Podia eu esperar que ficasses para sempre em Portugal e que renunciasses e  tua fortuna e e  tua pe¡tria para so pensares em mim? [... ] Bem claramente vejo qual seria o remedio para todos os meus males e em breve me libertaria deles se deixasse de te amar. Mas ai de mim!, que terre­vel remedio! Ne£o! Antes quero sofrer ainda mais do que esquecer-te... Infeliz que sou! Dependere¡ isso de mim? Ne£o posso acusar-me de ter desejado, nem que fosse so por um momento, deixar de te amar! [... ] Ne£o e para te obrigar a escreveres-me que digo todas estas coisas. Oh!, ne£o te violentes! De ti ne£o quero nada sene£o o que espontaneamente vier e recuso todos os testemunhos de amor que constrangido me desses. Comprazer-me-ia em desculpar-te, so porque talvez tu te sintas bem em ne£o ter o ince´modo de me escrever, e sinto uma profunda disposie§e£o para te perdoar todas as faltas que cometeres.

Mariana Alcoforado
estou-decidida-adorarte-durante-toda-vida-e-neo-ter-olhos-para-mais-ninguem-e-assegurote-que-tambem-tu-fares-bem-em-neo-amar-mais-ninguem-poderias-acaso-contentarte-com-uma-paixe
Je¡ reparou que so a morte desperta nossos sentimentos? Como amamos os amigos que acabam de deixar-nos, ne£o acha?! Como admiramos nossos mestres que je¡ ne£o falam mais, que este£o com a boca cheia de terra! A homenagem vem, ente£o, muito naturalmente, essa mesma homenagem que talvez tivessem esperado de nos durante a vida inteira. Mas sabe por que somos sempre mais justos e mais generosos para com os mortos? A raze£o e simples! Em relae§e£o a eles, je¡ ne£o he¡ obrigae§eµes. Deixam-nos livres, podemos dispor de nosso tempo, encaixar a homenagem entre o coquetel e uma doce amante: em resumo, nas horas vagas. Se nos impusessem algo, seria a memoria, e nos temos a memoria curta. Ne£o e o morto recente que nos amamos em nossos amigos, o morto doloroso, nossa emoe§e£o, enfim, nos mesmos![... ] e‰ assim o homem, caro senhor, com duas faces: ne£o consegue amar sem se amar. Observe seus vizinhos, se por acaso ocorrer um falecimento no predio. Adormecidos em sua vidinha, e eis que morre o porteiro. Despertam imediatamente, agitam-se, informa-se, enchem-se de compaixe£o. Um morto no prelo e o espete¡culo comee§a, finalmente. Eles teªm necessidade de tragedia que se pode fazer? - e sua pequena transcendeªncia, e seu aperitivo. Sere¡, alie¡s, por acaso que lhe falo em porteiro? Eu tinha um, que era uma verdadeira desgrae§a, a maldade em pessoa, um monstro de insignifice¢ncia e de rancor que faria desanimar um franciscano. Eu nem sequer lhe dirigia a palavra, mas, por sua propria existeªncia, ele comprometia minha satisfae§e£o habitual. Morreu, e eu fui a seu enterro. Sere¡ capaz de me dizer por queª?

Albert Camus
je-reparou-que-morte-desperta-nossos-sentimentos-como-amamos-os-amigos-que-acabam-de-deixarnos-neo-acha-como-admiramos-nossos-mestres-que-je-neo-falam-mais-que-esteo-com-boca-che
Anahata chakra desperta no cerebro refinando as emoe§eµes e seu despertar e caracterizado por um sentimento universal de amor ilimitado por todos os seres. Claro que existem muitas pessoas no mundo que praticam bondade e caridade, mas eles teªm egoe­smo. Sua caridade ne£o e uma expresse£o espiritual e de compaixe£o do Anahata chakra, ele e compaixe£o humana. Quando voceª tem compaixe£o humana voceª abrir hospitais e centros de alimentae§e£o ou ente£o, dar roupas, dinheiro e medicina por caridade, mas e caridade humana. Como podemos ver a diferene§a entre caridade humana e caridade espiritual? Na caridade humana, he¡ sempre um elemento de egoe­smo. Se eu quiser fazer-te um hindu dando-lhe coisas, esta e uma manifestae§e£o da caridade humana. Ou se eu quiser fazer-te meus seguidores eu posso mostrar-lhe uma grande bondade, mas a bondade humana. No entanto, quando Anahata desperta todas as suas ae§eµes se£o controladas e governadas por altrue­smo e voceª desenvolve compaixe£o espiritual. Voceª entende que o amor ne£o envolve negociae§e£o, e livre de expectativa. Toda forma de amor e contaminada pelo egoe­smo, mesmo o amor que voceª tem com Deus, porque voceª este¡ esperando alguma coisa Dele. Talvez, neste mundo, o amor com um me­nimo de egoe­smo e um amor de me£e. Claro que ne£o e totalmente altrue­sta, mas porque o sacrife­cio de uma me£e e te£o grande, seu amor tem um me­nimo de egoe­smo... Uma vez um santo tinha quase conclue­do esta peregrinae§e£o, e estava carregando uma vasilha cheia de e¡gua do Ganges. No momento em que ele entrou no recinto do templo, onde foi para o banho Shivalingam , encontrou um burro que estava desesperadamente precisando de e¡gua. Imediatamente ele abriu o seu recipiente e deu e¡gua para o burro. Seus companheiros de viagem gritaram, "Ei, o que voceª este¡ fazendo? Voceª trouxe essa e¡gua de te£o longe para dar banho ao Senhor Shiva e quando chega aqui voceª o de¡ a um animal ordine¡rio!" Mas o santo ne£o viu dessa forma. Sua mente estava trabalhando em uma freqe¼eªncia diferente e mais elevada. Aqui este¡ outro exemplo: uma vez Senhor Buda estava indo para um passeio e  noite. Ele deparou-se com um homem velho e ficou muito comovido pelo sofrimento da velhice. Em seguida ele viu uma pessoa morta, e novamente ele ficou muito comovido. Quantas vezes e que vamos ver homens velhos? Sere¡ que ficaremos comovidos como ele ficou? Ne£o, porque as nossas mentes se£o diferentes. O despertar de um chakra altera a freqe¼eªncia da mente e imediatamente influencia o nossos relacionamentos com as pessoas no dia-a-dia e o nosso ambiente.

Satyananda Saraswati
anahata-chakra-desperta-no-cerebro-refinando-as-emoeees-e-seu-despertar-e-caracterizado-por-um-sentimento-universal-de-amor-ilimitado-por-todos-os-seres-claro-que-existem-muitas-
?Earn cash when you save a quote by clicking
EARNED Load...
LEVEL : Load...